2 de novembro de 2015

Jorge

Não sei o que lhe deu naquele dia, mas depois de jantar já me tinha pedido comida por diversas vezes. Ora era uma bolacha, ora uma banana. A certa altura, disse-lhe que ía dar-lhe leite e que depois ele ía para a cama sem mais comida. Ficou calado. Dali a pouco, entrou devagar na cozinha, olhou para mim e, na sua sabedoria de 4 anos de idade apenas, começou esta conversa:
"- Mamã, sabes, eu tenho um cavalo...".
"- Eu sei que tens um cavalo." - respondi-lhe.
"- Sabes, o meu cavalo chama-se Jorge." - continuou ele.
"- Ai é? Está bem, Jorge é um bom nome." - respondi-lhe, sem perceber muito bem onde é que ele queria chegar.
Até que ele avança: "- Mamã, o Jorge quer uma tosta!"

6 comentários:

Patrícia disse...

hahahahahahahahaha

Anónimo disse...

lol

Regina Andrade disse...

Kkkkk muito bom!

Beijinhos...

Regina Andrade disse...

Kkkkk muito bom!

Beijinhos...

castor71 disse...

Acho isso perfeitamente normal.
Ass: Jorge.

Adriana disse...

Lol