11 de fevereiro de 2014

Novos desafios

Não sei explicar bem porquê, talvez seja da minha própria natureza, mas sempre fui uma pessoa receosa de falar abertamente o que me vai na alma. Mas não me considero tímida, talvez uma falsa tímida. É difícil explicar isto. Mas quando tenho de falar (em especial para muitas pessoas) sinto como que uma moinha no peito, que desce pelos meus braços e gela-me as mãos, acompanhada daquele pensamento demovedor: “Será que o que vais dizer tem algum interesse para a conversa, Adriana?» e, por fim, lá está, a desistência e a opção por ficar calada. Sempre foi assim, com muita pena minha, pois sinto que tenho muitas coisas interessantes cá dentro. Toda a minha vida tenho lutado muito contra isto. Não que eu própria tenha definido esse objetivo, mas as circunstâncias da vida têm-me obrigado a enfrentar esta dificuldade. Na igreja, na faculdade, no estágio e ao longo da minha vida profissional, tenho sido sempre colocada em situações em que tenho de falar para muita gente. Só com a ajuda de Deus é que isto tem sido possível. E eu já devia ter interiorizado isto mesmo:  que é Deus que me ajuda e que não depende tudo de mim. Mas, na verdade, continuo sempre a “sofrer” muito quando sei que vou ter de falar. Creio que Deus tem estado, a pouco e pouco, a transformar esse meu traço de personalidade, pois tem colocado diante de mim desafios nessa área. Ultimamente, têm-me surgido convites para falar em público e, pela graça de Deus, depois de muito “sofrer” na preparação das intervenções, acaba por correr bem. Um convite que alegrou muito o meu coração, por um lado, e que me deixou com o sentimento de que sou do tamanhinho de um grão de areia, por outro, chegou-me da parte da união feminina da Igreja Baptista da Horta, que me convidou para ir ao Faial, no verão, para falar no retiro de mulheres. Senti do Senhor aceitar este desafio. Peço que Deus me ajude a não deixar que a timidez impeça a Sua obra. E, ao mesmo tempo, que eu nunca deixe de depender exclusivamente do Senhor para confiar em mim mesma. (E, já agora, orem por mim, por favor!)

8 comentários:

Avozinha disse...

Vai em frente, Adriana!

Filipa disse...

Deus tem-te capacitado, querida amiga. Oro por ti.

Filipa disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Vilma Correia disse...

Compreendo-te muito bem Adriana, pois também sou assim, mas o Senhor é contigo e Ele mesmo te tem capacitado a isso! És uma pessoa maravilhosa, cheia do Seu Espirito Santo e portanto, deixa-te conduzir!
Um beijinho e continua a ser uma benção!

Ana Rute Oliveira Cavaco disse...

que bom!
o teu exemplo tem sido de grande encorajamento para mim, a ver se sigo a tua coragem!

Sara Freitas disse...

Que continues sempre a aceitar esses desafios para que todos possamos ser enriquecidos com a tua sensibilidade e profundidade!<3

Adriana disse...

Obrigada pelas vossas palavras de encorajamento. São preciosas para mim. Um abraço a todas.

Dina Leite disse...

Que linda!.. :-) Força!