15 de abril de 2010

Saber amar

Depois de umas mini-férias no continente, em que Deus me proporcionou a possibilidade de estar com a minha mãe (que só esperava ver na melhor das hipóteses lá para Agosto) e acompanhá-la num exame médico; uma semana repleta de emoções, intensamente vivida, regressei à ilha de coração apertado, com vontade de ter ficado mais algum tempo no continente. Na véspera da viagem de regresso, recebemos um telefonema de uma irmã da nossa igreja pedindo para passarmos na sua casa assim que chegassemos à ilha. Esta irmã, calculando que íamos chegar cansados e sabendo que ao domingo está tudo fechado, preparou-nos uma canja de galinha (maravilhosa), envolvendo a panela num pano bordado, com um alfinete fino a prender o nó, flores naturais a decorar e um bilhete com palavras de ânimo e coragem. Dentro do embrulho também vinha pão, para acompanhar a canja. Através desta oferta, pudemos sentir muito o amor de Deus, fluindo do coração desta irmã para nós. Foi muito especial.
(Que Deus te retribue em dobro, querida irmã)

5 comentários:

Anónimo disse...

Pois é...ela é assim!
Não sabe agir de outra forma! Quando Deus transforma, o resultado é sempre maravilhoso e ela consegue ser sempre a "nossa" mãezinha, quando a nossa não está por perto!

vera disse...

:)

Cecilia disse...

É mesmo uma "flor", a nossa irmã!rsrsrsrs

tania disse...

looool sem comentarios, isso ja quase k nao existe...
mas sabe tao bem

Patrícia disse...

Que senhora tão querida!