18 de novembro de 2013

Gerar filhos

Há uns bons anos atrás, quando ainda se usavam retroprojetores, recordo-me de me ter oferecido para passar a computador as letras dos cânticos da minha igreja (estamos a falar de 2 dossiers A4 dos largos). Pois bem, andava eu nessa azáfama quando recebi a visita de um primo, que volta e meia vinha a nossa casa. Esse meu primo diz-se ateu, porém, caiu no erro de me perguntar se eu precisava de ajuda. Resultado: o meu primo esteve umas boas horas a ditar-me as letras dos cânticos. Confesso que me consolei a ouvir o meu primo dizer “Santo, santo, santo!” “Não há Deus como tu!” “Quebra a minha vida e fá-la de novo” “Dou-Te o meu coração e todo o meu ser, para Ti quero viver!” “Jesus, eu Te amo!” “Aleluia! Aleluia!” Recordo-me que, a dada altura, a minha mãe foi espreitar para ver o que se estava a passar, pois ouviu de longe a voz do meu primo e teve de ir confirmar se era mesmo ele que estava a dizer tais coisas (lol). Recordo-me que quando o meu primo se levantou para ir embora, até estava com outra expressão, meio atordoado… que ‘tareia’ espiritual! Nunca esquecerei este episódio. Pois bem, por estes dias o meu marido ofereceu os meus préstimos para fazer correção de texto de um material de discipulado. Pois, enquanto corrigia os textos (escritos por um estrangeiro), Deus falou profundamente ao meu coração. Só me lembrava do meu primo a “levar nas orelhas”. E uma frase que mexeu muito comigo e que não me sai do coração é a definição de discípulo. O que é um discípulo de Jesus? “Um discípulo é um seguidor obediente de Jesus e que se reproduz.” É esta última palavrinha que me anda a fervilhar no coração: “…que se reproduz”. Não há esterilidade no Reino de Deus, todos podemos gerar filhos! Que assim seja. Não queiramos o Senhor só para nós mesmos.

2 comentários:

Ana Rute Oliveira Cavaco disse...

Amém!

Patrícia Dias disse...

Verdade