26 de janeiro de 2007

Verde, a quanto obrigas!

Este Inverno tem sido um Inverno a valer. Já chegou a chover um mês seguido (dia e noite). Os ventos que sopram no Continente são uns mariquinhas perto dos ventos açorianos. Às vezes, até dá medo. A chuva daqui é pesada e interminável. O clima foi, sem dúvida, uma das coisas que mais estranhámos aqui nos Açores. Não é frio nem quente, mas é demasiado húmido. E, por vezes, a humidade é tão elevada que é difícil suportá-la. A zona onde vivemos fica num vale e é conhecida como uma das zonas mais húmidas da ilha. Por vezes, no Verão, o tempo fica tão abafado que até custa respirar. Agosto é o único mês do ano em que se pode dizer “faz bom tempo” (sem meter as mãos no fogo). O tempo é algo a que os açorianos dão muita importância. Dependem dele para fazer as suas vidas. Se o mar estiver muito bravo, os barcos não podem sair. Se houver muito nevoeiro e os ventos forem adversos, não há ‘Taps’ nem ‘Satas’ para ninguém (já me aconteceu). Mas se assim não fosse, os Açores não teriam aquele verde brilhante que não existe em mais nenhum outro lugar do mundo.
(e o verde do Faial é o mais bonito das 9 ilhas)

2 comentários:

Daniela Mann disse...

Lá está, não há bela sem senão!
Beijinhos

Anónimo disse...

pois, nao conheco esse clima
mas nos tb ainda nao nos adaptamos a este clima tao diferente...faz um frio....
e os ultimos ventos levaram me a vedacao do quintal...loool
tania