24 de fevereiro de 2007

Como retribuir?

Estive a ver fotografias antigas e apercebi-me que, desde que o nosso filho nasceu, eu fico sempre com um sorriso ridículo em todas. É um sorriso exagerado, meloso, babadíssimo. Um sorriso de alguém que ama profundamente. Ao ver estas fotos, lembrei-me de uma colega de estágio, que me disse uma vez que o amor de uma mãe por um filho não tem compensação possível. Nem é preciso. Uma mãe ama, simplesmente. Se ele me der um sorriso ou um beijinho, o dia está ganho. Se não der, ganho está na mesma. É um amor desinteressado, constante, crescente e infinito. E eu, que tenho tantos defeitos, e consigo amar assim tão profundamente o meu filho, fico a pensar como será o amor do Pai, o Deus de Amor, por nós? Por vezes, na vida, podemos não ter tido a sorte de ter os melhores pais do mundo, mas podemos ter o melhor Pai do universo, se nos dermos ao Senhor.

4 comentários:

Daniela Mann disse...

Gostei muito!
Na Bíblia o Senhor diz: "Ainda que o teu pai e a tua mãe te abandonem, Eu jamais te abandonarei!"

Avozinha disse...

Amen, sister!

alealb disse...

é bom demais ser filha do Pai!
é indescritível...
beijos,
alê

Sara disse...

as tuas palavras..., obrigada.